Good Contents Are Everywhere, But Here, We Deliver The Best of The Best.Please Hold on!
Your address will show here +12 34 56 78
Semanário
Aconteceu, hoje, no Rio de Janeiro, uma primeira reunião de Coordenadores e Produtores de Finalização. O encontro aconteceu de forma presencial, no bairro do Flamengo. O objetivo principal foi o de estreitar o diálogo entre aqueles que gerenciam os projetos, equipes e departamentos de pós-produção. Cada profissional pôde falar um pouco sobre a forma como trabalha, além de dividirem cases e experiências. Foi possível, também, trocar informações sobre as relações da área com as outras etapas da cadeia produtiva audiovisual. Falou-se sobre necessidades e processos que envolvem a pós e o desconhecimento de muitos profissionais que se relacionam com ela.

Pauta e Tendências

Orçamentos, cachês, processos de trabalho, gerenciamento de mídia e infra-estrutura também fizeram parte da pauta. Falou-se sobre a “sensação” de a pós-produção operar com “sobras de orçamentos” gerando dificuldades de gerenciamento e corte de recursos. Recursos esses, que muitas vezes, influenciam na qualidade do trabalho e/ou na qualidade de vida dos profissionais envolvidos. Apesar disso, verificamos uma tendência forte de planejamento e organização de atividades, por parte dos coordenadores. É consenso que trabalho organizado geram equipes mais focadas, resultando em produtividade mais alta. Infra-estrutura ainda é um desafio para todos. A necessidade de promover mais debates entre os coordenadores e produtores de pós, ficou clara. Assim como facilitar o diálogo entre esse grupo e o mercado. Por isso, foram levantadas algumas ações diretas que podem ser iniciadas, com o objetivo de esclarecer melhor o que se faz em pós-produção. Afinal, cada vez mais, as produtoras audiovisuais se interessam na compra de equipamentos e buscar soluções “in house” para seus projetos. Esperamos ouvir falar de um segundo encontro em breve.
0

– “Qual a sua profissão?” – “Pós-produtora.” – “Ok, pro-du-to-ra?” (a pessoa repete enquanto anota…) – “Não, senhor. Pós, tracinho, produtora. Assim mesmo, vai na fé, que é isso que faço.” Apesar de ser uma etapa independente da cadeia de produção audiovisual, a pós-produção ainda não faz parte do imaginário popular. Nem do popular e, muitas vezes, nem do senso comum profissional. Geralmente, a pós se enquadra como uma etapa da produção de filmes, como processo contínuo. O que ocorre na prática é que, às vezes, a produção acontece em função da pós. E outras vezes, a “natureza da produção” diverge do tradicional, como acontece com as animações ou filmes de VFx. Para escrever esse texto, eu fiz uma longa busca em papers, matérias, artigos e sites. Há uma literatura extensa explicando como se produz um filme e pouco sobre como se pós-produz. Há conteúdo especializado (animação, VFx…) mas, geralmente são reels, tutoriais, etc. Considero natural pelo enfoque da pós como extensão da produção, como mencionei antes. Mas, por outro lado, considero delicada a falta de informação e literatura porque isso, simplesmente, gera reflexos na vida prática de quem trabalha com pós.

Segredos de estado?

Confesso que há um certo charme em tanto segredo 🙂 Porém, no momento de encontrar profissionais treinados e com certificação, a coisa muda de figura. Talvez, por isso, o QI (quem indica) funcione tanto. Até mesmo escolas que queiram ter professores especialistas e renomados em seu quadro, encontrarão dificuldade pois a maioria dos profissionais de mercado aprendeu a profissão, na raça. Bom, falando do cenário brasileiro, né? Como definição, acredito que tudo o que acontece com o material filmado, gravado, animado (ou projetado com objetivo de animação), se refere à pós-produção. Sendo assim, a pós não se inicia quando o material está sendo filmado ou gravado. E, muito menos, termina quando a mídia final é entregue ao cliente. Todos o planejamento, execução e processos de backup estão interligados à pós. E, além desse planejamento, a infra-estrutura, processos, etapas, profissionais que são especialistas em diversas funções e fases que podem compor essa etapa. Mesmo em fluxos super simples como “captou, editou, entregou” as vírgulas significam muito mais que pausas para respiro. 🙂
Pós-produção é o que, então?
Semanário
Já tem um bom tempo que planejo o lançamento de um site que fale sobre pós-produção. Não apenas sobre as questões técnicas, por exemplo. A ideia é falar sobre a pós-produção dentro e para além do audiovisual. Curiosamente, foi exatamente quando pensei em sair dessa área que, tive a clareza de que sair não ajudaria.

Depois de algumas más experiências com projetos ultra-estressantes e também, alguns calotes (sim…), comecei a dar aulas e a fazer Airbnb. A partir daí, minha mente curiosa, me leva a estudar algoritmo, big data e também, machine learning. Eu acreditava estar aprendendo algo novo para mudar de área. Entretanto, o resultado é que dei a volta para chegar onde comecei. Porém, agora, convergindo o audiovisual e as novas tecnologias.

Como resultado, percebi que eu precisava fazer algo e ir além. Assim, em 2016, comecei os encontros ao vivo chamados “Café com Pós” e, em seguida, a percepção de que deveria me aprofundar. Com isso, o Resolve na Pós vem nascendo. Gradualmente.

Se tudo der certo, 2017 será o ano em que ele deve ganhar vida na internet. Não só para abarcar dois projetos anteriores, ou seja, o conteúdo das aulas e o Café com Pós. O objetivo é trazer mais informação pertinente, em português, sobre o tema. 

Pós-produção, sempre estudando!


Sempre corri atrás de estudar. Nos anos 90 ainda pairava a verdade de que diploma fazia diferença na vida da gente e era fundamental. Mas, o bom conteúdo vinha com a prática, vivenciando o dia a dia. Conteúdo sobre o assunto, só em inglês mesmo.

Olha, percebi rapidinho que todos estamos carentes de informação compilada na área. Existe uma certa “tradição oral” na pós-produção, onde cada um vai aprendendo e ensinando, contando cases e resolvendo questões em reuniões casuais de “brainstorm” para solucionar problemas.

O que era uma impressão, ficou evidente quando comecei a dar aulas. Mesmo com planejamento preciso entre conteúdo e carga horária, os próprios alunos sempre trazem demandas e dúvidas tão pertinentes que acabam gerando aulas-extra e outros cursos.

Se a experiência me fez uma profissional especialista no que faço, estar em sala de aula me mostrou que  nunca deixa de ser necessário muito estudo e pesquisa. Com isso, é perceptível que o próprio mercado carece de profissionais com conhecimento consistente para dar cabo ao número de projetos que não para de crescer.

Além disso, é fundamental formar profissionais capazes de integrar equipes de ponta, com maturidade para trabalhar em conjunto, além de ter o conhecimento técnico para assinar trabalhos com precisão. Então, tem muito trabalho a ser feito.

Vamos ver como tudo isso aqui se desenvolve. Por hora, o Resolve na Pós, é um local onde se pensa em soluções e práticas para resolver questões de produção, sem precisar resolver tudo na hora da finalização.

Por aqui, divulgarei informações, cursos, palestras e trabalhos relevantes. Falarei sobre conceitos e processos de trabalho e darei dicas para você se formar e se informar melhor. Estejamos conectados, ok? 

Até muito breve!
0