Pós-produção é o que, então?

– “Qual a sua profissão?”
– “Pós-produtora.”
– “Ok, pro-du-to-ra?” (a pessoa repete enquanto anota…)
– “Não, senhor. Pós, tracinho, produtora. Assim mesmo, vai na fé, que é isso que faço.”

Apesar de ser uma etapa independente da cadeia de produção audiovisual, a pós-produção ainda não faz parte do imaginário popular. Nem do popular e, muitas vezes, nem do senso comum profissional. Geralmente, a pós se enquadra como uma etapa da produção de filmes, como processo contínuo. O que ocorre na prática é que, às vezes, a produção acontece em função da pós. E outras vezes, a “natureza da produção” diverge do tradicional, como acontece com as animações ou filmes de VFx.

Para escrever esse texto, eu fiz uma longa busca em papers, matérias, artigos e sites. Há uma literatura extensa explicando como se produz um filme e pouco sobre como se pós-produz. Há conteúdo especializado (animação, VFx…) mas, geralmente são reels, tutoriais, etc. Considero natural pelo enfoque da pós como extensão da produção, como mencionei antes. Mas, por outro lado, considero delicada a falta de informação e literatura porque isso, simplesmente, gera reflexos na vida prática de quem trabalha com pós.

Segredos de estado?

Confesso que há um certo charme em tanto segredo 🙂 Porém, no momento de encontrar profissionais treinados e com certificação, a coisa muda de figura. Talvez, por isso, o QI (quem indica) funcione tanto. Até mesmo escolas que queiram ter professores especialistas e renomados em seu quadro, encontrarão dificuldade pois a maioria dos profissionais de mercado aprendeu a profissão, na raça. Bom, falando do cenário brasileiro, né?

Como definição, acredito que tudo o que acontece com o material filmado, gravado, animado (ou projetado com objetivo de animação), se refere à pós-produção. Sendo assim, a pós não se inicia quando o material está sendo filmado ou gravado. E, muito menos, termina quando a mídia final é entregue ao cliente. Todos o planejamento, execução e processos de backup estão interligados à pós.

E, além desse planejamento, a infra-estrutura, processos, etapas, profissionais que são especialistas em diversas funções e fases que podem compor essa etapa. Mesmo em fluxos super simples como “captou, editou, entregou” as vírgulas significam muito mais que pausas para respiro. 🙂


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *